ORATÓRIA


Apresentação lógica da matéria
O que você deve fazer?
Organizar a matéria de modo que fique claro como as idéias se relacionam entre si e com as conclusões a que você chegar, ou com o objetivo que pretende alcançar.
Por que é importante?
As informações apresentadas de maneira lógica são mais fáceis para a assistência entender, aceitar e gravar.
PERGUNTE-SE. . .
Qual é o meu objetivo?
Está cada ponto principal claramente relacionado com esse objetivo?
Ao selecionar matéria, levei em conta as necessidades dos ouvintes?
Organizei a matéria de tal forma que os ouvintes possam passar de um pensamento para outro sem lacunas que acharão difíceis de preencher?

Conclusão eficaz
O que você deve fazer?
Nas frases finais, dizer algo para motivar os ouvintes a agir de acordo com o que ouviram.
Por que é importante?
O que se diz na conclusão em geral é lembrado por mais tempo e influi na eficácia do próprio discurso.
VOCÊ talvez tenha pesquisado cabalmente e organizado a matéria para formar o corpo de seu discurso. Talvez tenha preparado também uma introdução que desperta o interesse. Mesmo assim, ainda falta algo — uma conclusão eficaz. Não minimize a sua importância, pois o que se diz por último em geral é lembrado por mais tempo. Se a conclusão for fraca, mesmo a matéria que a precedeu pode perder muito de sua eficácia.
Pontos a lembrar. O que você disser na conclusão deve ter relação direta com o tema do discurso. Deve expressar a conclusão lógica dos pontos principais apresentados. Embora talvez queira incluir algumas palavras-chave do título, repeti-lo na íntegra é opcional.
COMO FAZER
Certifique-se de que a conclusão se relacione diretamente com as idéias já apresentadas.
Mostre aos ouvintes como agir à base do que ouviram.
Motive a assistência tanto por meio do que diz como pelo modo de dizê-lo.
Ênfase nas idéias principais
O que você deve fazer?
Na leitura em voz alta, dar ênfase especial às idéias principais de toda a matéria e não apenas a determinadas frases.
Por que é importante?
Quando as idéias principais são enfatizadas, é mais fácil lembrar-se da mensagem.
O BOM leitor vê além da sentença e até mesmo do parágrafo em que ela aparece. Ele tem em mente as idéias principais de toda a matéria e, com base nisso, determina onde dar ênfase.
Caso esse processo não seja seguido, a leitura não terá pontos altos e nada se destacará com clareza. No final da apresentação, os ouvintes talvez não consigam lembrar-se de nenhum ponto-chave.
Quando as idéias principais recebem a devida ênfase, é possível dar mais significado à leitura. Essa ênfase é especialmente importante no caso dos discursos manuscritos.
Como dar ênfase. Ao ler, o que deverá enfatizar? Se a matéria girar em torno de uma idéia central ou de um evento importante, isso deve ser enfatizado.
Quer se trate de poesia ou prosa, de provérbio ou narrativa, a assistência será beneficiada por sua boa leitura.Para conseguir isso, leve em conta tanto o conteúdo da passagem como a assistência.
PONTOS QUE SE DEVE TER EM MENTE
Analise a matéria para identificar as idéias principais. Marque essas idéias.
Na leitura, destaque as idéias principais lendo-as com mais entusiasmo ou sentimento, ou ainda diminuindo o ritmo, conforme apropriado.
Ênfase segundo o sentido
O que você deve fazer?
Enfatizar palavras e frases de maneira que os ouvintes assimilem as idéias facilmente.
Por que é importante?
A ênfase segundo o sentido ajuda o orador a prender a atenção dos ouvintes e a persuadi-los ou motivá-los.
QUANDO falamos ou lemos em voz alta, é importante não apenas pronunciar as palavras de maneira correta, mas também enfatizar as palavras e expressões-chave de tal forma que transmitam claramente as idéias.
A ênfase correta envolve mais do que simplesmente frisar algumas ou mesmo diversas palavras. É preciso enfatizar as palavras certas. Se você enfatiza as palavras erradas, existe o risco de seus ouvintes não compreenderem o que diz e deixarem de prestar atenção. Mesmo que a matéria seja boa, os ouvintes não se sentirão devidamente motivados se o orador não a apresentar com a ênfase correta.
COMO USAR A ÊNFASE
Acostume-se a identificar as palavras-chave e os grupos de palavras das sentenças. Ao fazer isso, tome o cuidado de levar em conta o contexto.
Tente usar a ênfase para indicar (1) mudança de pensamento e (2) como se sente em relação ao assunto sobre o qual está falando.
Ao ler, crie o hábito de enfatizar as palavras que apóiam diretamente os argumentos.
Equilíbrio
O que você deve fazer?
Postar-se, movimentar-se e falar de modo calmo e dignificante, que revele tranqüilidade.
Por que é importante?
Se você mostra equilíbrio, é mais provável que os ouvintes se concentrem no que diz, em vez de em sua pessoa.
COMO ADQUIRIR EQUILÍBRIO
Prepare-se bem.
Treine a apresentação em voz alta.
Identifique sintomas de desequilíbrio e aprenda a evitá-los ou a controlá-los.
Estilo conversante
O que você deve fazer?
Falar como na conversa diária, porém adaptado aos ouvintes.
Por que é importante?
O estilo conversante apropriado deixa os ouvintes à vontade e ajuda-os a serem receptivos ao que se diz.
DE MODO geral, as pessoas se sentem descontraídas ao conversar com amigos e falam de maneira espontânea. Algumas são animadas; outras, mais reservadas. Apesar disso, falar com naturalidade é algo que sempre cativa.
Ao falar com um desconhecido, porém, não é próprio mostrar muita intimidade ou ser informal demais. De fato, em algumas culturas, toda conversa com desconhecidos começa de modo bem formal. Depois de ter sido demonstrado o devido respeito, pode ser aceitável usar, com discernimento, uma linguagem menos formal e mais conversante.
Ao falar da tribuna, também é preciso ter cuidado. Um estilo excessivamente informal detrai da dignidade e da seriedade do que se diz.
COMO DESENVOLVER ESSA QUALIDADE
O primeiro passo é ter a atitude correta para com os ouvintes. Encare-os como amigos, mas não seja informal demais. Trate-os com respeito.
Fale espontaneamente. Não tente usar exatamente a mesma fraseologia da matéria impressa, mas exponha as idéias nas suas próprias palavras. Use sentenças curtas, e varie o ritmo.
Concentre-se no desejo de se comunicar. Fale de coração. O importante é a mensagem, não a impressão que você causa nos outros.
Melhore a sua linguagem diária. Ponha em prática, uma por vez, as sugestões dadas nesta página.
Fluência
O que você deve fazer?
Ler e falar de modo que as palavras e as idéias fluam suavemente. Quem se expressa com fluência não fala de maneira entrecortada nem devagar demais. Também, não tropeça nas palavras nem titubeia, como se não soubesse o que dizer.
Por que é importante?
Quando o orador não tem fluência, os ouvintes podem deixar de prestar atenção. Além disso, existe o risco de se transmitirem idéias erradas e de a mensagem não ser expressa de forma convincente.
QUANDO lê em voz alta, costuma tropeçar em algumas expressões? Ou percebe que muitas vezes não encontra as palavras certas ao proferir um discurso? Se isso acontece, seu problema pode ser falta de fluência. A pessoa fluente lê e expressa seus pensamentos com nítida facilidade, mas isso não significa que fale sem parar, de maneira muito rápida ou sem pensar. Ela se expressa de maneira agradável
Costumes que se deve evitar. Muitas pessoas têm o hábito de inserir expressões ou palavras como “bem”, “agora”, “é . . . ” e “ou seja” no início ou no meio das frases. Outras as terminam com “não é verdade?” ou “né?”. Talvez você não se dê conta da freqüência com que usa essas expressões. Poderá verificar isso pedindo que alguém o ouça ensaiar a apresentação e repita essas expressões cada vez que você as usar. Pode ser que fique surpreso.
COMO OBTER FLUÊNCIA
Quando encontrar palavras desconhecidas em revistas e livros, marque-as, descubra exatamente o que significam e use-as.
Treine a leitura em voz alta pelo menos de cinco a dez minutos por dia.
Quando for designado a fazer uma leitura, prepare-se bem. Preste atenção especial aos grupos de palavras que transmitem idéias. Entenda bem a linha de raciocínio.
No dia-a-dia, aprenda a pensar primeiro e então dizer frases completas, sem interromper a linha de raciocínio.
Gestos e expressões faciais
O que você deve fazer?
Movimentar as mãos, os ombros ou o corpo inteiro para expressar idéias, sentimentos e atitudes.
Usar os olhos, a boca e a cabeça de uma forma expressiva, para reforçar o que diz e para transmitir sentimentos.
Por que é importante?
Gestos e expressões faciais dão mais ênfase visual e emocional às palavras. Podem intensificar seus sentimentos e dar mais vida à voz.
EM ALGUMAS culturas, as pessoas gesticulam mais do que em outras. Contudo, praticamente todas as pessoas variam as expressões faciais e fazem algum tipo de gesto ao falar, tanto numa conversa particular como num discurso.
PONTOS A TER EM MENTE
Os gestos e as expressões faciais mais eficazes são os que vêm do coração. Observe como os outros gesticulam, mas não tente imitá-los nos mínimos detalhes.
Estude bem a matéria de seus discursos, procurando sentir e visualizar o que está descrito. Então, use a voz, as mãos e as expressões faciais para transmitir a informação.
Introdução que desperta interesse
O que você deve fazer?
Nas primeiras frases, dizer algo que capte a atenção da assistência e contribua diretamente para alcançar o seu objetivo.
Por que é importante?
A introdução pode determinar se certas pessoas vão escutar o que se diz e com quanta atenção o farão.
A INTRODUÇÃO é uma parte fundamental de qualquer discurso. Se você realmente despertar o interesse dos ouvintes, eles estarão mais propensos a ouvir com atenção o que se seguirá.
COMO DESPERTAR INTERESSE NA INTRODUÇÃO
Leve em conta os ouvintes — suas circunstâncias, preocupações, atitudes, ou o que já sabem a respeito do assunto.
Determine que aspectos desse assunto serão de interesse e valor especial para eles.
Modulação
O que você deve fazer?
Variar o som da voz. Este estudo trata das mudanças de volume, ritmo e tom.
Por que é importante?
A modulação correta dá vida ao discurso, mexe com as emoções dos ouvintes e os estimula a agir.
A falta de modulação pode dar a impressão de que o orador não tem interesse no assunto.
QUANDO fala com ênfase, você ajuda a assistência a entender a mensagem. Mas se conseguir também uma boa variedade no volume, no ritmo e no tom da voz, seu discurso será muito mais agradável. Além disso, revelará o que sente a respeito do assunto. Lembre-se de que sua atitude em relação à matéria pode influenciar os sentimentos de quem o escuta.
COMO CONSEGUIR
Ajuste o volume ao expressar ordens urgentes, forte convicção ou condenações. Preste bastante atenção às partes do discurso onde é necessário aumentar o volume da voz.
Varie o ritmo falando mais rápido para expressar pontos secundários e, mais devagar, para transmitir argumentos de peso e pontos principais. Para transmitir entusiasmo, aumento o ritmo.
Varie o tom, se for apropriado, para transmitir emoções e sensibilizar os ouvintes. Nas línguas tonais, amplie ou diminua o campo de entonação.
A modulação começa com a seleção de idéias e informações para elaborar o discurso.
Naturalidade
O que você deve fazer?
Ser você mesmo: espontâneo, sincero e despretensioso.
Por que é importante?
Se ao falar você parecer nervoso, muito formal ou desajeitado, por estar preocupado demais com a impressão que vai causar, isto talvez distraia os ouvintes.
QUANDO a pessoa se expressa de modo natural, ganha a confiança dos ouvintes. Confiaria nas palavras de alguém que falasse por trás de uma máscara? Será que o fato de o desenho na máscara ser mais bonito que o rosto do orador mudaria alguma coisa? Provavelmente não. Assim, não use um disfarce, seja você mesmo.
COMO DEMONSTRÁ-LA
Fale normalmente. Concentre-se, não em si mesmo, mas na necessidade que as pessoas têm de aprender.
Na preparação de um discurso, preste mais atenção às idéias do que às palavras.
Ao proferir discursos e na conversa diária, evite falar de forma desleixada e não use características de oratória para chamar atenção para si mesmo.
Prepare-se bem para ler em público. Leia com sentimento e leve em consideração o real sentido da matéria.
Proferimento espontâneo
O que você deve fazer?
Preparar bem as idéias do discurso, mas escolher as palavras de forma natural no decorrer do proferimento.
Por que é importante?
O proferimento espontâneo é o método mais eficaz de prender o interesse da assistência e motivá-la.
Evite as armadilhas. Tenha em mente que o proferimento espontâneo também tem seus perigos. Um deles é a tendência de passar do tempo. Se você inserir muitas idéias adicionais durante o discurso, será difícil terminar no tempo certo. Para evitar isso, anote no esboço o tempo programado para cada seção do discurso e apegue-se ao tempo estipulado.
Outro perigo, em especial no caso de oradores experientes, é o excesso de autoconfiança
COMO CONSEGUIR
Convença-se das vantagens do proferimento espontâneo.
Em vez de escrever todo o discurso, faça um esboço simples.
Prepare-se mentalmente para o proferimento, recapitulando cada ponto principal em separado. Não se preocupe demais com palavras; concentre-se no desenvolvimento lógico das idéias.
Pronúncia correta
O que você deve fazer?
Proferir as palavras corretamente. Isso envolve: (1) usar os sons corretos para vocalizar as palavras; (2) enfatizar a sílaba certa; (3) dar a devida atenção aos sinais diacríticos —  como os acentos, o til, a cedilha e o trema, em português.
Por que é importante?
A pronúncia correta confere dignidade à mensagem que transmitimos. Permite que os ouvintes se concentrem no teor da mensagem sem ser distraídos por erros de pronúncia.
NEM todos tiveram a oportunidade de receber muita instrução escolar. Apesar disso, é importante ter cuidado para que uma pronúncia errada não tire o brilho da mensagem que apresentamos.
COMO MELHORAR A PRONÚNCIA
Aprenda a usar bem o dicionário.
Peça a alguém que leia bem para ouvir sua leitura e dar sugestões.
Preste atenção à pronúncia dos bons oradores e compare com a sua.
Uso correto de pausas
O que você deve fazer?
Parar nos lugares certos durante a leitura ou o proferimento. Às vezes, pode-se pausar ligeiramente ou apenas diminuir o volume da voz por um instante. As pausas são apropriadas quando cumprem uma função.
Por que é importante?
O uso correto de pausas é fundamental para se entender prontamente o que é dito. Pausar também serve para ressaltar pontos importantes.
Como se pode determinar onde pausar? Qual deve ser a duração das pausas?
5 tipos de pausas:
Pausas determinadas pela pontuação.
Pausas para mudança de pensamento.
Pausas para dar ênfase.
Pausas exigidas pelas circunstâncias.
Pausas para permitir uma resposta.
COMO FAZER
Ao ler em voz alta, preste atenção à pontuação.
Escute com atenção os bons oradores e observe onde fazem pausas e qual é a duração delas.
Depois de dizer algo que deseja que seus ouvintes realmente se lembrem, pause para dar tempo de assimilarem a idéia.
Ao conversar com alguém, pergunte sua opinião e ouça a resposta. Não o interrompa até que conclua o pensamento.
Uso de esboço
O que você deve fazer?
Falar com base num esboço, mental ou escrito, em vez de usar um manuscrito, lendo palavra-por-palavra.
Por que é importante?
Preparar um esboço ajuda a organizar as idéias. Usá-lo no proferimento torna mais fácil falar de modo conversante e com sentimento.
MUITOS ficam apreensivos com a perspectiva de falar usando um esboço. Sentem-se mais seguros quando tudo o que vão dizer está escrito no papel, ou decorado.
Na realidade, porém, diariamente todos nós falamos sem manuscrito. Fazemos isso ao conversar com a família, com os amigos, no ministério de campo e também ao fazer orações espontâneas, em particular ou em favor de um grupo.
COMO FAZER
Conscientize-se dos benefícios de falar com base num esboço.
Na conversa diária, organize as idéias antes de falar.
.
Faça um esboço simples, fácil de ler num relance.
Prepare-se para o proferimento recapitulando idéias, não decorando palavras.
Uso do microfone
O que você deve fazer?
Usar corretamente o microfone.
Por que é importante?
Aquilo que se diz só pode beneficiar outros se for ouvido com clareza.
Algumas orientações básicas. Para o uso correto do equipamento, tenha em mente o seguinte: (1) Em geral, o microfone deve estar a uma distância de 10 a 15 centímetros da boca. Se ele estiver muito perto, as palavras podem sair distorcidas. Se estiver muito longe, a voz sairá indistinta. (2) O microfone deve estar à sua frente, não de lado. Se você virar a cabeça para a direita ou para a esquerda, fale apenas quando o rosto estiver na direção do microfone. (3) Use um pouco mais de volume e intensidade do que numa conversa comum. Mas não é preciso gritar. O equipamento de som levará facilmente a sua voz até os mais distantes na assistência. (4) Se precisar limpar a garganta, tossir ou espirrar, não deixe de afastar a cabeça do microfone.
Ao proferir uma palestra. Ao começar a falar, escute a qualidade de sua voz nos alto-falantes. O volume está muito alto, ou certas palavras produzem sons explosivos? Talvez tenha de se afastar alguns centímetros do microfone. Ao olhar o esboço, lembre-se de falar e ler apenas quando o rosto estiver na direção do microfone, ou um pouquinho acima dele, nunca abaixo.
COMO FAZER
Mantenha o microfone a uma distância de 10 a 15 centímetros da boca.
Só fale quando o microfone estiver no lugar.
Use um pouco mais de volume e intensidade do que numa conversa comum.
Se tiver necessidade de limpar a garganta, afaste a cabeça do microfone.
Volume apropriado
O que você deve fazer?
Falar com suficiente intensidade de voz. Para determinar o volume adequado, leve em conta: (1) o tamanho e as características da assistência; (2) barulhos que possam desviar a atenção; (3) a matéria em consideração, e (4) o seu objetivo.
Por que é importante?
A menos que os presentes consigam ouvi-lo com facilidade, existe a possibilidade de se distraírem e não entenderem a mensagem. Se falar alto demais, poderão achar isso irritante e até desrespeitoso.
SE O orador falar baixo demais, alguns poderão cochilar
Como melhorar o volume. Algumas pessoas têm de se esforçar bastante para aprender a falar com volume adequado. Talvez por natureza a pessoa tenha um tom de voz baixo. Mas com esforço conseguirá aumentar o volume da voz, embora seu tom talvez continue a ser suave. Se desejar melhorar nesse aspecto, fique atento à respiração e à postura. Mantenha-se ereto quer esteja sentado quer de pé. Levante os ombros e respire fundo, enchendo a parte inferior dos pulmões. Se conseguir regular bem o suprimento de ar nos pulmões, conseguirá também controlar o volume da voz.
COMO MELHORAR
Observe a reação dos ouvintes e fale de modo que o ouçam confortavelmente.
Aprenda a respirar enchendo a parte inferior dos pulmões.
SITUAÇÕES QUE JUSTIFICAM AUMENTAR O VOLUME
Prender a atenção de um grupo grande de pessoas.
Compensar distrações.
Atrair a atenção ao dizer algo muito importante.
Motivar à ação.
Cativar a atenção de uma pessoa ou de um grupo.
Esse post foi publicado em FALAR EM PÚBLICO. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s